Pé na porta

Penso, logo tenho que resistir.

Seria fácil se não fosse eu aqui

Mas o que você pensa quando você sente que não tem mais graça?

Amanhã eu vou mudar de vez

Mas já dei outro passo,

onde eu vou parar?

Já fui com o pé na porta

eu mirei bem no olho e disse:

“Por que você me pede sempre um pouco mais?

Não tá feliz, fala logo, então!”

Que viagem foi essa até aqui?

Eu sigo em frente, mas o que vai me esperar no fim?

Mas o que você pensa quando você sente que o tempo não passa?

Amanhã eu vou mudar de vez.

Mas já dei outro passo,

onde eu vou parar?

Já fui com o pé na porta, eu mirei bem no olho e disse:

“Por que você me pede sempre um pouco mais?

Não tá feliz, fala logo, então!”

Maquinomania


Hoje você vai viver o real

Desliga o que te conecta

à maquinomania


Hoje eu vou te dar um sentido

Pra você escrever

No seu muro virtual


Ah! Feche suas máquinas

Abra sua mente

As ruas não podem ficar

Cheias de gente vazia

Você vai entender

Suas fotos não são o que sente

Eu quero ouvir sua voz

E não palavras vazias


Hoje você vai parar pra pensar

Vai perguntar pra si mesmo

Quem você é e o que faz


Hoje você vai viver o real

Desliga o que te conecta

à maquinomania


Ah! Feche suas máquinas

Abra sua mente

As ruas não podem ficar

Cheias de gente vazia

Você vai entender

Suas fotos não são o que sente

Eu quero ouvir sua voz

E não palavras vazias

Ferrugem

Como corrói essa ferrugem

Como destrói lá dentro de quem

não sabe perder

O que se gasta de energia

Só perde tempo em não reconhecer

o que é bom

 

Você tem medo

Eu também tenho

Mas aprendi a dividir o que me faz bem

Você sente raiva

Eu também sinto

Mas aprendi a aceitar o novo

 

Enferrujado

Seco de tanto rancor

Só perde tempo em não reconhecer

o que é bom

 

Você tem medo

Eu também tenho

Mas aprendi a dividir o que me faz bem

Você sente raiva

Eu também sinto

Mas aprendi a aceitar o novo

Campo Minado


Abro os olhos

E o que vejo?

Mais um dia

Eu ouço e sinto

Como lembrar de um sonho

que eu nunca vi

Eu sinto pisar em campo minado

No escuro


Quanto tempo faz que você

não para pra ouvir?

Quanto tempo faz que você

não para pra sentir?


O dia é tão escuro

Se você não enxergar

Não enxergar

Como lembrar de um sonho

que eu nunca vi

Eu sinto pisar em campo minado

No escuro


Quanto tempo faz que você

não para pra ouvir?

Quanto tempo faz que você

não para pra sentir?


O dia é tão escuro

Se você não enxergar

Não enxergar

Guarda-chuva


Dava pra ver,

você queria um banho de chuva

Mas com o guarda-chuva na mão

E acha que vai sair sem precisar de nada

Mas conta com a chuva pra molhar


Quero te ver sem seus filtros em poses e suas desculpas.


Pois de quem a culpa de se estar no mesmo lugar?

De quem é a culpa?


Dava pra ver,

você queria pisar nas nuvens

Mas com a cabeça no chão

Quer se jogar no escuro mas não vai além

Do próprio quarto no primeiro andar


Quero te ver sem seus filtros em poses

e suas desculpas.


Pois de quem a culpa

de se estar no mesmo lugar?

De quem é a culpa?

De quem a culpa

de se estar no mesmo lugar?

De quem é a culpa?

Estado Líquido

Eu sei,

é tanta gente em estado líquido

ocupam o espaço

assumem sua forma

e evaporam depois do calor.

 

Eu pensei em fazermos algo diferente

Congelar as nossas emoções

Isso não é frieza, é querer algo sólido.

 

E assim, eu vou poder escorregar na sua pele

Me derretendo no seu calor

Mas antes que vire vapor,

vamos começar de novo.

 

Eu sei,

o que a gente está vivendo agora

Pode até parecer passageiro

Mas isso não é algo que estou querendo.

 

Eu pensei em fazermos algo diferente

Congelar as nossas emoções

Isso não é frieza, é querer algo sólido.

 

E assim, eu vou poder escorregar na sua pele

Me derretendo no seu calor

Mas antes que vire vapor,

vamos começar de novo.

©2016 Kilotones.